10 verdades sobre o uso de pedras na decoração

10 de agosto de 2017 Bases neutras, toques de cor, texturas incomuns, formatos variados, praticidade e total liberdade para ousar com as pedras!
  • foto
Bases neutras, toques de cor, texturas incomuns, formatos variados, praticidade e total liberdade para ousar. As pedras são assim, cada uma com as suas particularidades, mas todas com a capacidade de destacar ambientes e incrementar o décor. Seja na reforma seja na construção, a fase do acabamento chega acompanhada de uma série de dúvidas em relação à escolha dos revestimentos, principalmente quando se trata do uso de pedras. Com a ajuda de profissionais é possível escolher qual modelo se encaixa melhor em seu projeto. As arquitetas Leticia e Flavia Abaurre, da Abaurre Arquitetura, listam 10 verdades sobre o uso delas na decoração.
 
1 – O que observar
Para garantir um bom resultado final não se deve considerar apenas a estética, é preciso levar em consideração as peculiaridades do local antes de definir qual o melhor modelo de pedra para o projeto. Para isso, observa-se a frequência da utilização do espaço, o tamanho, se ele está exposto às mudanças climáticas, entre outros aspectos.
 
2 – Conforto térmico
Além de elegantes, as pedras garantem conforto térmico ao ambiente. Um espaço revestido com elas, principalmente nas paredes, fica mais fresco e agradável de estar, já que o material absorve boa parte do calor recebido dos raios solares. Essa característica faz a rocha ser vista como um elemento de importância termal. Para as arquitetas, conforto térmico em um país com clima tropical é a chave para garantir comodidade.
 
3 – Exclusividade
As pedras artificiais possibilitam fugir do comum por possuírem uma infinidade de cores e texturas, características que propiciam a criação de projetos exclusivos e possibilidades infinitas. Afinal, se cada pessoa é única, o seu projeto também pode ser.
 
4 – Custos
Ao eleger a utilização de pedras na decoração, os moradores podem se surpreender com o alto custo de algumas variedades. Porém, Leticia e Flavia Abaurre lembram que, além de tornar a decoração ainda mais sofisticada, as pedras agregam valor ao imóvel. Elas destacam ainda que algumas pessoas optam por utilizar sobras de pedras, que também garante um bom resultado, dependendo do projeto, e tem um valor inferior.
 
5 – Bancadas
Para compor com estilo a decoração das bancadas do banheiro ou da cozinha, as arquitetas utilizam em seus projetos o granito, o dekton e o quartzito marrom ou cinza absoluto. Essas pedras têm alta resistência a desgastes e impactos, além de serem superfícies duráveis e resistentes e que garantem um acabamento refinado.
 
6 – Uso externo
Para o uso externo, as principais características a serem consideradas são que as pedras sejam antiderrapantes, resistentes e não absorvam calor.  Portanto, fuja das escorregadias como granitos e mármores polidos. Para áreas de garagem, próxima à piscina, calçada e varanda, elas recomendam as rochas mais brutas.
 
7 – Uso interno
As arquitetas dizem que é possível ousar na escolha ao eleger o tipo de pedra para revestir pisos, paredes, móveis e bancadas em ambientes internos. Entretanto, é preciso estar atento às características do material escolhido: deve ser de fácil limpeza, pouca manutenção e alta durabilidade. Para quem está em dúvida sobre qual optar para a bancada da cozinha, por exemplo, um material que se destaca é o dekton em termos de beleza, baixíssima absorção de líquidos, e alta resistência ao calor, às manchas e aos riscos.
 
8 – Paredes
Para revestir as paredes, as profissionais utilizam em seus projetos tanto as pedras artificiais quanto as naturais, que proporcionam desde combinações monocromáticas até escolhas mais exóticas. O tipo e o estilo variam de acordo com o gosto do cliente e, claro, com o local onde ela será instalada. Segundo Leticia e Flavia, o uso das rochas nas paredes é tão versátil que pode ser visto nas áreas externas e na decoração de interiores. Porém, elas sugerem que tudo seja feito com o acompanhamento de um profissional, pela indispensável avaliação do local e pelas opções de combinar as pedras com outros tipos de revestimentos para deixar o ambiente ainda mais aconchegante, sem medo de errar.
 
9 – Mármore ou Granito
Se a opção for pelas pedras naturais mais conhecidas e utilizadas, o mármore ou granito, atenção ao local de uso. O mármore é usado, preferencialmente, em áreas internas, tanto nos pisos quanto nas paredes e bancadas, onde o material não sofre com as mudanças climáticas e a poluição, o que causaria alteração na cor da pedra. Já o granito é um material que tem baixo índice de porosidade e alta resistência a desgastes. Por isso, é indicado tanto para ambientes internos quanto para externos.
 
10 – Manutenção
As pedras mais porosas e com rugosidade demandam cuidados especiais para evitar o acúmulo de sujeiras. Quando utilizadas como pisos, recomenda-se varrer diariamente com vassoura limpa e seca. Não esqueça de fazer uma limpeza mais profunda, periodicamente, com detergente neutro diluído em água. Já nas bancadas, onde se utiliza superfície polida, em especial as da cozinha, que devem ser higienizadas diariamente, é recomendável a limpeza simples com agentes de pH próximo ao neutro. Para as pessoas que fazem a limpeza com produtos químicos ou lavadoras de alta pressão, as arquitetas da Abaurre Arquitetura alertam: a utilização de equipamentos ou substâncias inadequadas comprometem a durabilidade, a coloração e a pureza do material. 
Copyright ©2017 - Abaurre Arquitetura e Interiores LTDA
Design by: aldabra criação de website